Restrito aos Associados

Área dos Associados

Usuário
Senha *
Lembrar de mim



Branquinha, malvada, perigosa, esquenta por dentro, água-benta, quebra-goela, tira-juízo. Esses são alguns dos vários apelidos da bebida originalmente brasileira que nasceu “com matéria-prima e braços nacionais, ainda que com alambiques lusos”, já dizia o folclorista Luís de Câmara Cascudo. Uma das histórias em torno da cachaça é que ela seria originária da criatividade dos escravos nos tempos do Império. Eles teriam descoberto que borra de melaço, depois de alguns dias, fermentava, dando origem a um produto que se denominava ‘cagaça’ e servia para alimentação dos animais e até mesmo dos escravos.

Séculos depois de sua criação, algumas marcas atingiram status de bebidas requintadas, com garrafas elaboradas, designs exclusivos e altos preços, semelhantes aos de vinhos e uísques renomados, migrando da simplicidade para a sofisticação. Essa nova realidade, no entanto, não tirou a beleza e o sabor das cachaças tradicionais, feitas há séculos atrás por famílias. É o caso da Cachaçaria Carvalheira, que hoje, além da bebida de sabor tradicional, com raízes aromáticas e extra premium, dispõe de sabores como canela, limão, frutas e de jurubeba (Fika).

No roteiro de bares e restaurantes presentes na cidade, dos mais simples aos mais tradicionais e sofisticados, ela nunca fica de fora, visto que cada vez mais drinques clássicos ganham versões a partir de sua essência. De acordo com Ricardo Nascimento, barman do Pisco Lounge Bar, de tempos para cá, os clientes começaram a degustar a bebida como o vinho, valorizando os aromas e sabores. “Esse status veio na medida em que a cachaça deixou de ser encarada como um produto barato e de baixa qualidade’, conta. O estabelecimento é um dos que apostam na bebida e dispõe de nomes tradicionais como a cachaça Busca Vida, Santa Dose, Germana e Leblon

Link: http://www.terramagazine.com.br/cachaca-uma-bebida-originalmente-brasileira
Data: 28/11/2014

Instituto Brasileiro da Cachaça